Parece, mas não é: a salada secreta de trigo

O trigo para quibe é um dos ingredientes que chegou no nosso dia-a-dia pra ficar. E a primeira receita que eu fiz pra valer com ele foi essa aqui. Também uma das primeiras que fiz do livro Panelinha.

Bazargan

Bazargan sobre piadina

Ingredientes

1 xícara (chá) de trigo para quibe

1/3 de xícara (chá) de azeite

2 colheres (sopa) de molho de romã

2 colheres (sopa) de suco de limão

3 colheres rasas (sopa) de extrato de tomate

½ colher (chá) de coentro moído

½ colher (chá) de cominho em pó

¼ colher (chá) de pimenta síria

100 g de nozes picadas

½ maço de salsinha picada

sal a gosto

Modo de preparo

  1. Numa tigela coloque o trigo e cubra com 2 xícaras (chá) de água. Deixe hidratar por 1 hora. Escorra o trigo em uma peneira fina, espremendo o máximo de água, ou, de preferência, coloque em um pano de prato limpo, faça uma trouxinha e torça até o trigo ficar bem seco.
  2. Numa tigela grande junte o azeite, o molho de romã, o suco de limão, o extrato de tomate, o coentro moído, o cominho em pó, a pimenta síria e tempere com um pouco de sal. Misture bem com um batedor de arame até que o molho fique liso.
  3. Junte o trigo escorrido a essa tigela e misture bem. Leve a geladeira por no mínimo 3 horas (eu acho melhor fazer no dia anterior, sinto uma grande diferença).
  4. Pré-aqueça o forno a 180 o Coloque as nozes picadas numa assadeira e leve ao forno por 10 minutos. Retire e coloque em um prato, pra não queimar na assadeira que vai continuar quente. Essa etapa pode ser feita junto com as anteriores ou perto da hora de servir, o que for mais conveniente. (Descobri que posso fazer na frigideira também, é só ficar mexendo sem parar durante uns 5 minutos e é mais prático).
  5. Na hora de servir, misture as nozes (ou as castanhas) e a salsinha picada.

XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX

“Eita, é carne moída é? Ela não come carne não!” – Nosso amigo Mota quando chegou e viu o Bazargan em cima da mesa hahahaha

Essa “salada” (não sei se eu chamaria assim, mas no livro tá assim, então tá :P) foi adotada de vez aqui em casa. Quase toda semana ela pinta por aqui. E toda vez que eu como, continuo achando a mesma delícia. É muito, muito, muito boa. Se tornou um dos meus pratos prediletos. E ainda, como ela segura bem, dá pra levar de marmita pro trabalho ou faculdade ou qualquer canto.

Eu gosto dela purinha da silva, mas também rola aqui em casa com arroz ou com piadina – como aí na foto 😉 Também, apesar de na receita dizer nozes, já testei com várias alternativas (aqui em Recife as nozes são bem mais caras que no Rio). Castanha do Pará e de caju ou um mix das duas são as principais. Essas castanhas e todos os ingredientes da receita, vocês encontram nos empórios nos arredores do Mercado São José – geralmente vou ao Empório Bandeira (mais barato) e ao Pura Vida (produtos que não encontro no Bandeira).

Refeição completa, dá pra fazer no dia anterior, super fácil, dá pra levar pro trabalho e é deliciosa! O único trabalho que vocês vão ter é comprar os ingredientes – mas como eles rendem muito, a cada compra dá pra fazer váriaaaas vezes!!

Bom apetite!!

Sou toda ouvidos!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s